Blog

Como cheguei até aqui?

11 de abril de 2012 / Sem categoria

por Estúdio41

Como cheguei até aqui? Creio que os que bem me conhecem diriam que vim andando, revelando com essa brincadeira, além do bom humor dos que me cercam, meu gosto por assim me deslocar, o que por sua vez reflete meu sossego. A contradição entre esse sossego e meu ritmo de vida acelerado explica alguns dos meus objetivos e anseios.

Durante a minha infância em São Paulo, capital, eu tive as responsabilidades de qualquer criança: estudar e ajudar um pouco em casa, e muito tempo livre. Isso me permitiu ir além de andar de bicicleta e jogar bola. Pude explorar minha tranqüilidade, paciência e perfeccionismo em atividades como montar quebra-cabeças e desenhar.

Acredito que, de forma não premeditada, o desenho me levou à arquitetura. Explico. Quando minha família decidiu se mudar de São Paulo para Curitiba eu estava para ingressar no antigo Segundo Grau mas, o que eu não tinha imaginado, é que estudaria em escola técnica e que, por conseqüência, deveria optar por um dos cursos ofertados. O desenho foi determinante na escolha: Edificações, apesar do flerte com Desenho Industrial. O curso Edificações acabou por me levar ao curso Arquitetura e, dessa forma, o desenho determinou boa parte da minha formação.

O período acadêmico foi desafiador. Penei. Passar do domínio dos instrumentos de projeto para o domínio de projeto não foi tarefa fácil e me recordo do primeiro e tardio êxito: tratava-se do segundo tema de projeto do quarto ano, uma residência. Desde então me aprofundei no assunto projeto e devo muito do que aprendi aos amigos com quem tive a oportunidade de trabalhar junto, em especial nos períodos de desenvolvimento de projetos para concursos.

Hoje, depois de cinco anos de formado, de ter cursado especialização, de alguns concursos e, em meio a muitos trabalhos, consegui manejar tempo suficiente para ter algum sossego e montar um quebra-cabeça: 5000 peças, uma bela paisagem da vila e estância de Portofino, na provícia de Genova.

Compartilhe

Posts relacionados

Que tal imprimir o projeto direto no terreno? Isto já é quase possível

05/05/2015
por Eron Costin

Reportagem no Fantástico

04/05/2015
por Eron Costin

Gigantescos centímetros

10/03/2015
por Eron Costin

Termo muito curto, digite ao menos três caracteres.

Categorias

Translate »
Translate